O que é a Terapia Ocupacional?


A Terapia Ocupacional

O terapeuta ocupacional habilita para a ocupação de forma a promover a saúde e o bem-estar. Com este objetivo atua, em parceria com pessoas e organizações, para otimizar a atividade e participação, tal como definido pela World Health Organisation’s International Classification of Functioning and Disability (2002).

Promove a capacidade de indivíduos, grupos, organizações e da própria comunidade, de escolher, organizar e desempenhar, de forma satisfatória, ocupações que estes considerem significativas.
Entende-se por ocupação tudo aquilo que a pessoa realiza com o intuito de cuidar de si própria (autocuidados), desfrutar da vida (lazer) ou contribuir para o desenvolvimento da sua comunidade (produtividade). Estas ocupações podem ser tão elementares como alimentar-se ou vestir-se ou tão elaboradas como conduzir um carro ou desempenhar uma atividade laboral.
Para tal, estuda os fatores que influenciam a ocupação humana, intervindo com pessoas de todas as idades nas situações que comprometam ou coloquem em risco um desempenho ocupacional satisfatório e consequentemente, restrinjam a sua atividade e participação.

Na sua abordagem, avalia e intervém ao nível da pessoa, da ocupação e do ambiente. Intervém para desenvolver competências, restaurar funções perdidas, prevenir disfunções e/ou compensar funções, através do uso de técnicas e procedimentos específicos e/ou da utilização de ajudas técnicas ou tecnologias de apoio.

Para mais informações consulte o Perfil do Terapeuta Ocupacional.

 

História

A Terapia Ocupacional começou a estruturar-se como profissão em 1906, em Chicago, nos Estados Unidos da América, com a criação dos primeiros cursos em que se treinavam pessoas para trabalharem em hospitais, com uma função específica: utilizar a ocupação para ajudar os doentes. Nessa altura dava-se grande ênfase aos trabalhos artesanais e a alguns exercícios físicos. Fundamentava-se a intervenção da Terapia Ocupacional na convicção que a ocupação contribui para devolver a saúde e o bem-estar dos doentes. Em 1910, seria definida como a “ciência da cura pela ocupação”.
No final da Segunda Guerra Mundial, e como consequência desta, surgiu a necessidade de reabilitar e integrar um grande número de deficientes. Assim, a Terapia Ocupacional foi adquirindo maior implementação nos países mais atingidos pela guerra e na Europa em especial.
Em Portugal, o curso de Terapia Ocupacional surgiu em 1957, por iniciativa da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa. Atualmente existem 4 escolas, ao nível do ensino Politécnico, a lecionar o Curso de Licenciatura em Terapia Ocupacional. É uma profissão da área da saúde reconhecida e legislada pelo governo Português.

Texto na sua totalidade